Inquérito ao Banif fica à espera do Orçamento

Citamos

Económico

Comissão de inquérito toma posse na próxima quarta-feira mas os deputados vão esperar pela aprovação do orçamento para iniciar audições

Os deputados que vão integrar a comissão de inquérito ao Banif tomam posse na próxima quarta-feira mas os líderes parlamentares decidiram que os trabalhos do inquérito só devem avançar depois de estar aprovado o Orçamento do Estado.

Esta ‘suspensão’ atira o início dos trabalhos para finais de Fevereiro ou inícios de Março, pelo que o inquérito deverá estar concluído em Julho.

António Filipe foi o deputado indicado pelo PCP para liderar a comissão parlamentar de inquérito à queda e à venda da actividade do Banif ao Santander. O PS já indicou que os seus membros na comissão serão Carlos Pereira, Eurico Brilhante Dias, Filipe Neto Brandão, Hortensa Martins, João Galamba, Lara Martinho e Luís Testa mas o PSD só vai indicar hoje os seus sete elementos. Da parte do CDS, será João Almeida o deputado efectivo e também coordenador e no BE volta a ser Mariana Mortágua a figura escolhida. Do PCP, entram ainda Miguel Tiago e Paulo Sá.

A esquerda recusou a intenção da direita de fazer recuar a investigação ao tempo dos governos de José Sócrates e a comissão de inquérito vai apenas avaliar e apurar os contornos da recapitalização do banco em Janeiro de 2013 e a origem da queda e dos planos de reestruturação. Os deputados querem sobretudo apurar eventuais erros de gestão e supervisão e analisar “os riscos” da solução encontrada já pelo governo de António Costa, bem como se havia outras alternativas. O PSD e o CDS já avisaram que a comissão não pode transformar-se num exercício de “passa-culpas” para o anterior governo. No final, a comissão de inquérito terá de enviar um relatório para a Procuradoria Gera, da República caso apure ilicitos ou indícios de natureza criminal.