Santander acusado de aliciar clientes do Banif

Citamos

Sábado

Jorge Tomé, ex-presidente do banco insular, queixou-se a António Vieira Monteiro de que, em Novembro, havia clientes a serem contactados pelo Santander com o pretexto de que o Banif ia fechar. O presidente da instituição espanhola desmente

Em Novembro, um mês antes da nota de rodapé da TVI que precipitou o desfecho do Banif e a venda ao Santander por 150 milhões de euros, funcionários do banco espanhol terão contactado clientes da instituição liderada por Jorge Tomé com o pretexto de que esta iria fechar. Incrédulo, o presidente do Banif telefonou a António Vieira Monteiro a mostrar o seu desagrado com a situação.

O presidente do Santander admitiu à SÁBADO que falou com Jorge Tomé, mas nega categoricamente que os seus funcionários tenham aliciado clientes do Banif. E alega que o BCP e a CGD foram as maiores beneficiadas com a fuga de clientes. António Vieira Monteiro conta ainda como fez as duas propostas para ficar com o Banif.

Fonte oficial em Bruxelas explicou também à SÁBADO que só com auxílios estatais a venda seria facilitada “a um forte comprador”. 

Leia toda a história na edição n.º 614 da SÁBADO, nas bancas a 4 de Fevereiro.