Novo aumento de capital do Santander Totta decorrerá entre 3 e 17 de Março

Citamos

Económico

Proposta prevê aumento de capital até 300 milhões de euros.

O período de subscrição para o novo aumento de capital do Santander Totta decorrerá entre os dias 03 e 17 de março, de acordo com a proposta que será levada à assembleia geral extraordinária de 29 de fevereiro.

A proposta foi divulgada hoje em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o documento, “o período de subscrição deverá ocorrer entre as 08:30 do dia 03 de março de 2016 e as 15:00 do dia 17 de março de 2016, inclusive, data em que se verificará a liquidação financeira, salvo se o período de subscrição for adiado pelo Conselho de Administração”.

As acções a emitir são oferecidas à subscrição exclusiva dos acionistas no exercício do seu direito de preferência, sendo rateadas na proporção das respectivas participações sociais se as ordens de subscrição excederem a oferta, refere o Santander Totta.

Os accionistas têm direito a subscrever o número de novas acções que resulte da aplicação do factor 0,31366551275 ao número de ações detidas, com arredondamento por defeito, acrescenta.

“As acções inicialmente não subscritas serão objecto de rateio pelos accionistas que tenham manifestado intenção de subscrever um número de ações superior àquele a que teriam proporcionalmente direito, na proporção do valor das respectivas subscrições, com arredondamento por defeito”, lê-se ainda no documento.

O Santander Totta convocou uma assembleia-geral extraordinária para deliberar sobre a proposta de mais um aumento de capital de até 300 milhões de euros em novas acções ao preço de um euro cada.

Já em Dezembro passado, o banco liderado por Vieira Monteiro tinha realizado um aumento de capital de 300 milhões de euros, tendo então o capital social passado a ser de 956,7 milhões de euros.

Caso o aumento de capital avance, o capital social do banco passará a 1.256,7 milhões de euros.

Quanto à fundamentação para este aumento de capital, o banco refere que serve o propósito de “optimização da estrutura de capitais próprios”, acrescentando que não haverá “qualquer alteração substancial na estrutura e no capital afecto” ao Grupo.

O português Santander Totta é detido sobretudo pelo banco espanhol Santander.