Mário Centeno e Constâncio pediram para “desbloquear” venda do Banif ao Santander

Citamos

Económico

Numa conferência de imprensa realizada esta quinta-feira, o PSD mostrou as declarações do ministro das Finanças na comissão de inquérito em que este, quando foi questionado pelos deputados do PSD, garantiu que nunca teve contactos com o BCE, nem com Vítor Constâncio, para pedir a aceitação da proposta do Santander Totta.

O PSD também divulgou o email em causa aos jornalistas, de Daniéle Nouy, presidente do conselho de supervisão do Banco Central Europeu datado de Sábado, dia 19 Dezembro. Nesse e-mail, publicado em fac-simile pelo “Observador”, a representante do BCE diz a alguém que não é identificado (o nome está rasurado) o seguinte: “Recebi ontem à noite chamadas de Vítor Constâncio e do Ministro das Finanças de Portugal, pedindo-me para desbloquear a oferta do Santander junto da Comissão Europeia. Correu muito bem e fui informada esta manhã sobre as discussões da noite passada. Agora, a Comissão Europeia e o Santander estão prontos para avançar quando as autoridades estiverem prontas”.

Daniéle Nouy faz mesmo referência a um mail enviado a Mário Centeno: “Encontrarão infra o email que eu enviei esta manhã ao sr. Centeno”, diz o documento.

“A minha recomendação é para se avançar rápido, abrir o processo de resolução (se isso ainda não foi feito), e coordenar muito bem o bail-in das obrigações do Banif…”, conclui no mail que é parte integrante das provas entregues à Comissão Parlamentar de Inquérito ao Banif.

Luís Marques Guedes citou esse mail na conferência de imprensa com os jornalistas, para demonstrar que afinal – ao contrário do que disse Centeno na comissão de inquérito, quando garantiu que nunca fez qualquer interferência em relação a nenhum comprador em particular, e que todas as intervenções que teve foram sempre no sentido de proteger o processo e de maximizar o número de potenciais candidatos no processo – quer o Ministro das Finanças português quer o vice-presidente do BCE pediram a Nouy para desbloquear junto da Comissão Europeia a proposta do Santander Totta para a compra do banco.