Banif: Comissão de Inquérito na Madeira acusa Banco de Portugal de falta de colaboração

Citamos

Porto Canal

Funchal, Madeira, 10 mai (Lusa) – A Comissão de Inquérito ao Banif na Assembleia Legislativa da Madeira decidiu, hoje, solicitar ao presidente do parlamento regional que intervenha junto do Banco de Portugal, no sentido de serem fornecidos os dados necessários para avançar com os trabalhos.

O social-democrata Carlos Rodrigues, que preside à Comissão de Inquérito, explicou, no decurso de uma reunião, que o Banco de Portugal ainda não disponibilizou nenhum dos dados solicitados pelos deputados, razão pela qual os trabalhos não avançaram.

Segundo disse, o Banco de Portugal alegou, numa primeira fase, que duvidava da legalidade da Comissão de Inquérito, mas mesmo depois desta ter sido comprovada continua sem responder.

Pelo contrário, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) forneceu imediatamente os elementos requeridos.

Carlos Rodrigues anunciou que, mesmo sem dispor dos dados do Banco de Portugal, a Comissão de Inquérito decidiu avançar com processo, remetendo, para já, pedidos de audição a Luís Amado (ex-presidente do Conselho de Administração do Banif) e Jorge Tomé (ex-presidente executivo).

O político lembrou, por outro lado, que o Banco de Portugal incorre num crime de desobediência ao não colaborar com a Comissão de Inquérito, que é constituída por nove deputados (cinco do PSD, um do BE, um do PS, um do CDS-PP e um do Juntos Pelo Povo).

A 20 de dezembro de 2015, o Governo da República e o Banco de Portugal decidiram a venda da atividade do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos ao Banco Santander Totta, por 150 milhões de euros.